Av. Dezoito de Fevereiro, 2455, Piratuba - SC - 89667-000(49) 3553-0132

05 de Mar de 18

Termas de Piratuba promove medidas sustentáveis e economia de água

Balneário localizado no Oeste se destaca no controle das suas águas junto aos órgãos de proteção ao meio ambiente.

A preocupação com a racionalidade da água, com o meio ambiente e a sustentabilidade também é prioridade para a administração da Companhia Hidromineral de Piratuba. Além de administrar um dos maiores parques termais do país, a empresa localizada no Oeste de Santa Catarina se destaca no controle das suas águas junto aos órgãos de proteção ao meio ambiente.

Fazendo com que a cidade siga com sua principal vocação: o turismo. Hoje, o município de pouco mais de 5 mil habitantes abriga um Parque Termal de qualidades terapêuticas conhecido em toda região sul do país e que já ultrapassou fronteiras encantando os turistas vizinhos do Mercosul.

Mas a preocupação vai além de atrair e encantar o turista, esta também na sustentabilidade. Apesar da abundância da fonte natural a Administração da Companhia Hidromineral promoveu economia de água nos últimos anos. Os estudos para manter qualidade e gerar economia foram iniciados em 2003. Para se ter uma ideia o consumo de água termal em 2016 foi de 564.343.000 de litros enquanto que em 2017 foi de 547.290.000 litros, o que representou uma economia no ano de mais de 17 milhões de litros, ou seja mais de 3% de economia com relação ao consumo que existiu no ano anterior.

Para o diretor-presidente da Companhia Hidromineral de Piratuba, Jair Gomes alguns ajustes foram responsáveis para que essa economia fosse possível, como o conserto da hidro piscina dos chuveirinhos no Complexo Termal I (inferior), que já estava furada há vários anos, causando uma grande vazão e por consequência um grande desperdício. "A instalação de uma bomba de pressurização para acelerar o enchimento das piscinas do Complexo Termal II (superior), também ajudou a controlar o desperdício. Além da instalação de motores no tobogã e na rampa de escorrega que fazem a água circular, evitando que este sistema seja abastecido por água direto do poço que acabava sendo esgotada para os ralos indo parar no Rio do Peixe", pontua. 

De acordo com o engenheiro de Minas, Mauri Dreckmann, funcionário de carreira da Companhia Hidromineral, a diminuição do consumo anual deve ser entendida em parte, devido um maior cuidado e uma racionalização com relação ao consumo da água termal.  "Ao longo dos anos várias medidas foram tomadas visando diminuir o consumo, mas entendo que devido ao fato da perda de pressão existente no Aquífero Guarani, valoriza mais as ações da administração que visam a economia da água das Termas de Piratuba. No último ano foram tomadas providências práticas e bem interessantes, de tal maneira que, mesmo tendo um consumo menor de água se teve um perfeito atendimento das necessidades de demanda do Balneário", comenta Dreckmann.

Saiba mais - As águas nascem a temperaturas superiores a 36 °C - seja pelo calor causado pelo gradiente geotérmico, seja por processos de vulcanismo (aquífero termal) e têm propriedades terapêuticas específicas e muito variadas.

- A maioria das definições encontradas apontam para "uma nascente natural cuja água tem uma temperatura mais elevada que a do corpo (normalmente entre 36,5 °C e 37,5 °C).

- As fontes termais existem em toda a Terra, incluindo o fundo dos oceanos.